Tek Trade vê mercado de GD crescer e projeta R$ 30 mi quando efeito Covid passar


Importadora de painéis fotovoltaicos registrou aumento de 41% em vendas no último ano e prevê mais 10 MW em projetos quando a pandemia passar

Por Canal Energia


Somando atualmente 1,5% de toda matriz elétrica nacional, a energia solar deverá o maior desenvolvimento no país este ano, à frente das hidrelétricas e parques eólicos, prevê a Associação Brasileira de Energia Solar (Absolar). Um dos locais onde esse crescimento segue acelerado é em Santa Catarina, estado que figura como quinto colocado no ranking da Aneel e da Absolar sobre evolução da modalidade de geração distribuída nos estados, que no Brasil soma 1 GW no total. Além da sustentabilidade, o investimento ajuda a diminuir custos com a conta de luz em 95%. Atualmente, há opções facilitadas de financiamento – com juros de 1% ao mês – com retorno estimado de quatro anos.

Atenta a esse mercado, a importadora catarinense de painéis fotovoltaicos Tek Trade tem visto sua atividade crescer, tendo registrado um aumento significativo de 41% em suas vendas no último ano, passando de R$ 2,8 milhões para mais de R$ 6,7 milhões com a comercialização de equipamentos. Em entrevista à Agência CanalEnergia, o diretor da empresa, Sandro Marin, afirmou que há ainda muito potencial a ser explorado pela a fonte no país, seja pelas dimensões continentais ou pelo clima favorável, destacando fatores positivos como a chegada de tecnologias cada vez mais eficientes e com opções facilitadas de financiamento, que têm contribuído para o aumento de interessados, desde indústrias, empresas, comércios até residências.

“O momento é muito positivo para o setor e se o mercado voltar à normalidade, pretendemos vender 10 MW até final do ano,

perfazendo investimentos de aproximadamente R$ 30 milhões, que normalmente representam parte de capital do cliente e parte financiado por bancos, que perceberam uma excelente oportunidade de mercado, financiando em até cinco anos energia segura para os próximos 25 anos de geração”, comenta Marin, afirmando haver contratos vigente com grandes integradores da região e para outros estados.

A despeito da crise ocasionada pela propagação do novo coronavírus, a última importação de uma leva para clientes, feita em containers, está prevista para chegar até o fim de abril. Já os outros projetos aguardam os próximos recursos, assim que o mercado externo voltar ao normal para atender a demanda no setor. “A China viu no Brasil um mercado potencialmente forte e ainda estamos em ascensão nesse setor, com novas tecnologias chegando nos próximos meses. Mas por enquanto todos nossos clientes pararam com as importações de módulos e inversores”, informa Sandro.

Uma das últimas iniciativas em que a companhia atuou foram os recentes aportes realizados pela indústria de ferragens HLS e da fábrica têxtil Steigleider, ambas localizadas no Vale do Itajaí, além da loja de veículos Blusa de Blumenau (SC), que também decidiu pela fonte solar. Ao todo, o sistema possui 320 módulos fotovoltaicos cobrindo uma área de 230m² no telhado da empresa e gerando em torno de 13 mil kWh/mês, o que atende praticamente 100% do consumo da unidade. A estimativa é de que o retorno do investimento seja atingido em cerca de quatro anos.

Eficiência em dias nublados e células de Silício

Criada há dez anos para atuar no ramo de importação e exportação brasileiro, a Tek Trade trabalha com uma gama variada de produtos, tendo importado já mais de 25 mil veículos para montadoras e distribuidoras, além da importação e distribuição direta de produtos como autopeças, impressoras 3D e os painéis solares. “Começamos importando para alguns clientes para entender como o mercado funcionava, e então começamos a importar por conta própria”, diz o diretor, indicando que o principal canal de vendas é para os integradores, que compram os equipamentos importados e instalam em usinas, empresas e residências.


Posts mais recentes