Implantação foi feita em parceira com RGE Sul e faz parte das negociações para pagamento da dívida do hospital com a concessionária

Entrou em operação o sistema de geração de energia fotovoltaica da Santa Casa de Caridade de Uruguaiana. O objetivo é reduzir o consumo da energia convencional e reduzir o custo à instituição. A implantação foi possível a partir da parceria com a concessionária de energia RGE Sul, firmada no ano passado e que faz parte das negociações para pagamento da dívida do hospital.

“Desde que a prefeitura municipal assumiu a gestão da Santa Casa, tomou-se conhecimento de uma série de dívidas da instituição, que superam R$ 270 milhões, sendo 10% com a concessionária. Iniciamos as negociações visando pagar a conta mensal e encontrar uma forma de quitar a dívida antiga. No entanto, essa conta se mantinha na média mensal de R$ 130 mil. Pedimos ajuda à concessionária, para reduzir o valor”, explica a gestora, Thaís Aramburu.PUBLICIDADE  

O débito da Santa Casa com a RGE Sul é superior a R$ 28 milhões, resultado de 21 anos de inadimplência. As negociações iniciaram em março de 2019 e houve sucessivas reuniões até ser firmado o acordo. A RGE foi responsável pela implantação de um plano de eficiência energética na instituição. As medidas incluem a substituição de todas as lâmpadas do prédio por lâmpadas de LED, o que já foi concluído, e a instalação do sistema de energia fotovoltaica.

Tão logo firmado o acordo, em abril de 2019, a instituição retomou o pagamento das faturas mensais, que já sofreu redução em razão da instalação do sistema LED e de medidas administrativas de racionalização. Os painéis solares, no telhado da instituição, recebem a luz do sol e a transforma em energia.

A eletricidade, que é gerada em Corrente Contínua (CC), é enviada aos inversores fotovoltaicos, que a convertem em Corrente Alternada (CA), o tipo de energia consumida. Além de econômica, esta é uma forma de obtenção de energia ecológica, pois capta a luz do sol e a transforma em energia, sem causar danos ao meio ambiente.

Em decorrência das mudanças, também ocorreu a adequação da cabine de medição, o que trouxe maior segurança, garantindo não só o aproveitamento da energia gerada, como possibilidade de geração de créditos na fatura seguinte, a ser consumido pelo hospital, se em algum momento a geração for superior ao consumo. A estimativa é de que o sistema possa gerar cerca de 120kWp (kilo-Watt-pico), o que somado as demais ações, deve gerar economia de 283MWh (megawatt-hora), resultando em uma redução de pelo menos R$ 100 mil ao ano na conta.

“A expectativa é enorme. A economia gerada com o sistema de energia solar será de suma importância. Na Santa Casa, cada centavo é calculado e aplicado da melhor forma e de alguma forma, se reverte em prol da comunidade”, diz Thaís.

“O apoio da RGE neste projeto foi fundamental”, completa. O prefeito Ronnie Mello também comentou. “Sem o auxílio da RGE neste processo não teria sido possível implantar o sistema, que fará a diferença. A concretização do acordo e a retomada dos pagamentos demonstra o trabalho que vem sendo desenvolvido na Santa Casa, com gestão e responsabilidade”, concluiu.

Correio do Povo