A fonte solar fotovoltaica atingiu, ao fim do primeiro trimestre deste ano, a marca de 5.114 gigawatts (GW) de capacidade instalada no País, um aumento de 14,4% frente aos 4.470 GW do fim de 2019.

Por WECCLUB

De acordo com dados divulgados pela Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) somente no segmento que inclui o consumidor residencial, crescimento foi de 21,5%; resultado ainda não reflete o impacto do COVID-19 no setor

Deste total, 55%, ou 2.687 GW, referem-se a usinas de grande porte, conhecidas no setor como “geração centralizada”, e os demais 2.427 GW referem-se aos mais de 208,3 mil sistemas de mini ou micro geração, ou “geração distribuída”.

A entidade destaca que, considerando apenas as usinas de grande porte, a fonte solar representa 1,5% da matriz elétrica brasileira, à frente da nuclear, com 1,1%, mas ainda inferior ao carvão (2%), e a outras fontes renováveis com maior presença no País, como biomassa (8,3%), eólica (8,5%) ou hídrica (60%).

Destacamos  também os dados obtidos com o relatório da Bureau Nacional de Estatísticas da China, a fonte solar fotovoltaica subiu 12%, e foi a única dentre as formas de produção de energia que não teve o desempenho prejudicado com o fechamento das indústrias na China durante os dois primeiros meses do ano por conta da Convid-19

Uma prova do crescimento da energia solar mesmo em um momento de crise mundial é o investimento de grandes companhias no setor de geração distribuída (GD). Um exemplo é a entrada da  WDC Networks que é uma empresa de tecnologia, focada no setor de Tecnologia da Informação e Telecomunicações que acaba de anunciar investimento no segmento de geradores de energia solar e começa a venda em abril de 2020. “O projeto da WDC com o Solar veio ao encontro das minhas expectativas, e queremos ir muito além da distribuição de sistemas solares. Nosso maior desafio não é montar uma distribuição de produtos e montagem de kits, pois isso a WDC já sabe fazer.

Nossa missão é expandir a oferta para além da geração de energia limpa, juntando automação inteligente das residências e sistemas de segurança eletrônica e canalizar isso via provedores de internet para levar os demais produtos da WDC para os atuais 12.000 credenciados para instalar energia solar no Brasil”, declara André Luiz de Paula Souza, diretor da unidade de negócios solar.

A Copel uma das grandes companhias Paranaense de Energia que gera, transmite e distribui energia elétrica irá implantar seis unidades de geração solar fotovoltaica no município de Bandeirantes, no Paraná. O sistema terá potência instalada total de 5,36 MWp (megawatt-pico, unidade de potência de energia fotovoltaica), o suficiente para atender o consumo de energia de aproximadamente 10 mil habitantes. 

No ultimo dia 13.04 a ANEEL divulgou que estão em operação no país ativos de geração distribuída solar com cerca de 2,5 gigawatts em capacidade instalada.

Para um momento de crise, o setor solar se torna uma salvação para as pequenas e médias empresas que atuam no setor ,assim como fonte de geração de empregos com o final da quarentena , uma vez que com os altos aportes  que estão sendo injetados nas distribuidoras  pelo governo para dar suporte financeiro durante a crise, teremos um aumento da tarifa da conta de luz já planejado para junho podemos crer que teremos um aumento no interesse do consumidor por geração distribuída.

Ressaltamos a importância desse momento estar parado para construir alianças e trabalhar no sistema de cooperativismo para que as empresas que forem afetadas pela crise se recuperem mais facilmente e assim mantemos o setor que mais cresce no Brasil trabalhando intensamente.