Energia solar para todos

Implantação de painéis fotovoltaicos em casas do CDHU reduzem em até 70% consumo de energia na conta de luz até mesmo no período de quarentena.

O projeto piloto que teve início em 2017 resultou de uma economia média verificada de 40,5% para uma média de consumo de 103 kWh em cada unidade habitacional, com este resultado desde 2018 todos os novos projetos de casas da CDHU passaram a contar com sistema fotovoltaico.

Por WECCLUB


Em 2019, foram entregues 18 empreendimentos, totalizando 1.451 unidades habitacionais com o kit completo fotovoltaico. Em 2020, já foram entregues 1.172 unidades habitacionais, nos municípios de Águas de Santa Barbara, Tarumã, Dois Córregos, Bragança Paulista, São Manuel, Pratânia, Areiópolis, Ibaté e Botucatu, todas com Sistema Fotovoltaico. Estão previstos outros 92 empreendimentos, que correspondem a 7.886 unidades habitacionais, já em construção.

O perfil médio de consumo de energia elétrica entre os moradores das casas construídas pela CDHU tem o consumo médio de 140 kWh por mês. Os painéis fotovoltaicos instalados nas unidades habitacionais têm capacidade de gerar, em média mensalmente 80kWh. A economia é potencializada com lâmpadas LED, que são instaladas antes da entrega das moradias e proporcionam uma diminuição de 10kWh no consumo. Dessa forma, chega-se a um consumo médio de 50 kWh por mês, que se enquadra na faixa de cobrança mínima de tarifa de energia elétrica.

Se falarmos de valores uma conta de 140 kW/h por mês, que corresponde a R$ 92,01, cai para R$ 27,47 se a média de 50 Kw/h por mês for atingida. Ou seja, chegamos na economia de até 70%

“Esse é mais um recurso tecnológico que permite economia para as famílias que necessitam de apoio. O sistema fotovoltaico se torna ainda mais importante diante do atual momento de crise”, explica o secretário de Estado da Habitação, Flavio Amary.

Outra vantagem econômica está no custo da implementação do sistema. Em 2019, ele custava R$ 4.095,00 por residência. Atualmente, ele é inferior a R$ 3.000,00, o que se deve à popularização da tecnologia pela CDHU.

 O painel fotovoltaico das instalações tem homologação pelo INMETRO, com tecnologia de Silício Policristalino, a mais recente do mercado. O medidor bidirecional, instalado pela concessionária, mede a energia injetada na rede e o consumo geral da residência. O excedente é transferido para a rede de fornecimento da distribuidora, sendo abatido esse valor da conta de energia da casa automaticamente. Ou seja, o sistema não depende do usuário para ser bem aproveitado.

A energia solar mais uma vez provando que não é só sustentável mais é uma das fontes de energia mais baratas da atualidade.


Posts mais recentes