Com a crise gerada pela pelo COVID 19 e as medidas emergenciais que estão sendo tomadas para as distribuidoras, energia solar desponta como alternativa não só ao meio ambiente mais como salvação econômica


Grandes marcas do mercado já são adeptas do uso de energia solar nas sua instalações e apontam uma economia como por exemplo a gigante do mercado de construção Leroy Merlin  de R$ 285 mil no ano com projeto de energia solar.

Edição: WECCLUB


O uso de sistema fotovoltaico em casas e comércios  é uma alternativa para as empresas, mesmo em tempos de queda da atividade econômica pelo isolamento contra o novo coronavírus. De acordo com a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), o uso da tecnologia pode reduzir custos de energia para as empresas em até 95% e ampliar a capacidade de investimento no negócio e na geração de novos empregos. 

Segundo ainda a entidade, antes da crise  a estimativa de criação de empregos para 2020 era de  120.000 postos de trabalho em todo o país. Com 2 Gigawatts (GW) de capacidade instalada ao final de 2019, a ABSOLAR projeta um crescimento de 170% do segmento para 2020, fechando o ano com cerca de 5,4 GW, as projeções foram publicadas na mídia um pouco antes do cenário atual de quarentena, porém vale ressaltar que os projetos já contratados segue o curso normal e nem houve falta de equipamentos para o setor, mesmo com os entreves que as importações sofreram com a COVID-19.

Outro fator que aponta a energia solar como a alternativa mais econômica é a diversidade de linhas de financiamento permitem adquirir a tecnologia fotovoltaica com quase nenhum investimento, além de possuírem taxas a 0,8% ao mês, o que viabiliza a instalação, o que se economiza na conta abate da parcela do financiamento.

Um exemplo de grandes empresas que aderiram ao uso da energia

solar não só pela geração de energia limpa  mais também pela economia gerada é  a Audi do Brasil que tem a meta de ter energia  100% neutra em carbono até 2050, e instalou 264 painéis fotovoltaicos  com capacidade para gerar 127 mil kWh/ano, para que seu Centro Técnico localizado em São Paulo, SP, utilize 100% de energia solar.

A energia produzida por todo o sistema representa 31% da demanda das áreas administrativas da Audi do Brasil, e deverá auxiliar a multinacional a reduzir suas emissões de gases de efeito estufa em até 17,3 toneladas por ano. 

Leroy Merlin economiza hoje R$ 285 mil no ano com projeto de energia solar, que se iniciou  em 2017 para apenas três unidades da rede. Com os resultados positivos alcançados ao longo do tempo, o projeto foi ampliado para mais 17 lojas, localizadas em 12 estados do país, permitindo uma redução de 23% (0,5 GWh) no consumo de energia, o que representa uma economia por loja do valor citado ao ano . 

A energia solar fotovoltaica tem um grande potencial no nosso país levando energia limpa e reduzindo o custo de energia elétrica da população, assim em cenários de crises como esse gerado pelo COVID-19 e jamais vivenciado antes , podemos afirmar que gera uma economia não só a população mais também consegue desafogar orçamento do poder público.


Posts mais recentes