“O mundo fora de nossas casas não é mais o mesmo. Olhando da janela pode parecer igual, mas pode ter certeza de que não haverá como voltar para o antigo formato e teremos que se engajar na mudança para o futuro, ou seja, um novo normal.”

O mercado de energia solar vinha tendo resiliência com as incertezas que o setor enfrenta desde a publicação da Resolução Normativa N482 da ANEEL em 2012, mas 2020 foi um ano que iniciou conturbado com a possível mudanças de regra e na sequência uma pandemia, onde parte das empresas precisaram paralisar suas operações presenciais, em cumprimento a quarentena imposta pelos governos. Além destas empresas, uma série de profissionais autônomos, viram-se, de uma hora para outra, obrigados a diminuir o ritmo de suas atividades.

Sabemos que a retomada para grande parcela do setor, que não costumavam ter um caixa robusto não será fácil, porém os números de energia solar são animadores mesmo no período de quarentena. De acordo com dados de entidades do setor, somente no primeiro trimestre de 2020, o Brasil registrou a marca histórica de 228 mil conexões de geração distribuída (GD), de janeiro a maio adicionou 1.236 MW de capacidade, o suficiente para abastecer quase 5 mil residências e quase 37 mil empregos gerados.

Bom meus amigos! As coisas mudaram.

Agora necessitamos ter a consciência de que a palavra resiliência não cabe mais para o setor. Afinal resiliência tem em seu significado: retornar à forma original após terem sido submetidos a uma deformação elástica, se adaptar-se a mudanças.

O mundo fora de nossas casas não é mais o mesmo. Olhando da janela pode parecer igual, mas pode ter certeza de que não haverá como voltar para o antigo formato e teremos que se engajar na mudança para o futuro, ou seja, um novo normal.

Como não temos tempo a perder, precisamos readaptar nossas empresas considerando o novo cenário. E para ter o planejamento desta retomada mais eficiente listo algumas medidas que podem ser implementadas em sua empresa:

  • A primeira medida é começar um planejamento envolvendo sua equipe, faça um brainstorming para remodelar as estratégias de negócios, adaptando os novos modelos a serem seguidos e alinhando as expectativas, para que eles estejam engajados e encorajados a manter sua marca com excelência no mercado;
  •  Seja flexível, repense regras e políticas, assim como também a forma de se encarar o cliente, pois a abordagem virtual cresceu vertiginosamente. Precisamos que se olhe para o futuro de uma forma ampla e mais unido com a vontade de todos;
  • Não será mais a quantidade que fará a diferença no seu network, mas sim a qualidade que fará em suas alianças;
  • Ter uma estratégia de monitoramento para medir a satisfação dos clientes e colaboradores, estar atento as tendências, será essencial para se manter na concorrência;
  • Pense em sua marca como objeto de consumo, fique atento nas redes sociais e faça seu marketing de forma correta a atender as demandas de mercado;
  • Estabeleça metas factíveis em curto prazo, pois o longo prazo está longe de acontecer e precisamos do agora;
  • Adapte se ao novo, pense em formas diferentes que seu negócio posso atuar dentro da sua área, porém oferecendo produtos diferentes sem perder o foco, como por exemplo uma forma de presentear seu cliente com algum benefício embutido na compra.

Hoje explanei alguns aspectos de como uma restruturação em sua empresa poderá ajudar na retomada, no próximo artigo sobre:A reabertura de consciência do mercado energético, falarei de como poderá se destacar no mercado que mais cresce no mundo.

Fique ligado nas próximas dicas !

Por Willian Aragão – COO na WEC² Energia Solar